Skip to main content

O que é a doença celíaca?

Após algum tempo em busca dos fatores que lhe faziam se sentir tão mal, você descobriu que é celíaco. Mas o que é a doença celíaca, afinal?

Trata-se de uma condição autoimune, que age como uma defesa do nosso organismo. Quando um alimento indevido é ingerido, no caso do celíaco, que contenha glúten – uma proteína que se encontra naturalmente no trigo, centeio, cevada e malte – o corpo tenta se defender e ataca a si mesmo, causando um processo inflamatório que afeta o intestino delgado, interferindo diretamente na absorção de nutrientes essenciais ao organismo, como: vitaminas, proteínas, sais minerais, carboidratos e até água!

E como se “pega” a doença celíaca? Seus portadores são pessoas que possuíam  predisposição genética à doença, ou seja, nasceram com a chance de desenvolver a intolerância ao glúten. Tal predisposição é comum em parentes de primeiro grau de uma pessoa que já possui DC, mas não necessariamente alguém da sua família precisa ser portador que essa condição se desenvolva.  Como dissemos, a doença celíaca pode ocorrer a partir de simples predisposição genética.

QUAIS OS SINTOMAS DA DOENÇA CELÍACA?

Uma das dificuldades da Doença Celíaca é explicar seus sintomas. Um celíaco pode ter o diagnóstico dificultado por características de sua própria condição, pois esta não apresenta sucessivamente os mesmos sintomas. A DC pode ser assintomática, apresentar um único sintoma ou, até mesmo, um conjunto deles, que podem estar relacionados a outras doenças.

Os sintomas mais comuns da doença celíaca manifestam-se no intestino, como: diarreia ou prisão de ventre crônicas, distensão abdominal, dor abdominal, vômitos e intolerância à lactose.

Além dos sintomas intestinais, como a DC interfere na absorção de nutrientes essenciais ao organismo, alguns sinais físicos que requerem atenção são: fadiga, osteoporose, irritabilidade, desnutrição, anemia, déficit de crescimento, depressão e esterilidade.

 

COMO DIAGNOSTICAR A DOENÇA CELÍACA?

Diagnosticar a doença celíaca nem sempre é fácil. Existem vários exames para identifica-la, porém, o mais simples e, normalmente, o primeiro a ser solicitado pelo médico, é uma análise do sangue  para medir a dosagem da imunoglobulina IgA (trata-se de uma glicoproteína responsável pelos anticorpos antitransglutaminase IgA e IgG). Embora o referido exame ajude, e muito, no diagnóstico, ele não é tão preciso, pois não fornece um resultado definitivo para a doença celíaca. Assim, hoje em dia, é absolutamente necessária a realização da biopsia do Intestino Delgado para confirmar a DC.

 

De que forma funciona a biópsia para o diagnóstico da doença celíaca?

A biópsia é feita a partir de uma endoscopia do intestino delgado. Um órgão normal apresenta vilosidades intestinais semelhantes no formato aos dedos das nossas mãos. É nesse local que ocorre a absorção dos nutrientes – proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e sais minerais.

No paciente celíaco, essas vilosidades tornam-se achatadas (atrofiadas), prejudicando a absorção dos nutrientes. No entanto, a visualização da aparência dessas vilosidades só é possível com o auxílio do microscópio.

O mais importante a saber é que, para diagnosticar a doença celíaca, é importante que o paciente esteja consumindo glúten, uma vez que nosso corpo só produzirá os anticorpos na presença do alimento indevido. Por isso, iniciar uma dieta sem glúten por conta própria pode dificultar o diagnóstico da doença celíaca futuramente.

Doença celíaca é o mesmo que intolerância ao glúten?

A doença celíaca e a intolerância ao glúten são duas questões completamente diferentes. Como já foi explicado, a doença celíaca é uma resposta autoimune ao contato do glúten com o intestino, afetando seriamente a mucosa intestinal.

Por outro lado, a intolerância ao glúten está relacionada à má digestão dessa mistura de proteínas e não tem ligação com lesões intestinas severas, como é o caso da DC.

Os sintomas da intolerância ao glúten incluem dor abdominal, flatulência, diarreia, fadiga, dores de cabeça e síndrome do intestino irritável.

E alergia ao trigo, o que é?

A doença celíaca e a intolerância ao glúten ainda podem ser confundidas com a alergia ao trigo. Esse alimento é um dos mais consumidos em todo o mundo e é a principal matéria-prima de pães e massas.

A alergia ao trigo é uma reação alérgica às proteínas presentes no cereal: glutenina e gliadina. Elas podem reagir com a imunoglobulina E (lgE) e, assim, desencadear uma série de sintomas como rinite, asma, náuseas, vômitos, urticária, coceira na pele, diarreia e inchaço na garganta.

Apesar da presença de glúten no trigo, isso não significa que pessoas com alergia a esse alimento vão apresentar reações alérgicas ao ingerir outros cereais que contenham essa proteína.

A DOENÇA CELÍACA TEM CURA?

Quando falamos em uma doença, a primeira coisa que perguntamos é: “E agora, como cura?”. No caso da Doença Celíaca, ela não existe. Por tratar-se de uma intolerância, o único modo de lidar com essa condição e eliminar seus sintomas, é, realmente, não ingerir o ”agente alérgico”, eliminando-o da dieta.

Resumindo, a cura dos problemas da Doença Celíaca, e não da doença em si, é feita através da restrição ao consumo de produtos que contenham glúten.

Que hábitos devem ser adotados por quem tem doença celíaca?

O primeiro passo para quem tem a doença celíaca é eliminar completamente o glúten da dieta alimentar. Por isso, não coma pão, torradas, massas, bolachas, biscoito, bolos, pizzas e salgadinhos.

Se você ficou desesperado após ler essa lista de alimentos proibidos, pode ficar tranquilo! Há diversas opções de produtos “gluten free” no mercado.

Também estão liberados: frutas, verduras, legumes, arroz e seus derivados, feijão, amido de milho, fubá, farinha de mandioca, tapioca, polvilho, fécula de batata, carnes bovinas, de frango e peixes, sal, açúcar, chocolate em pó, cacau, gelatinas, óleos e derivados do leite.

Mas não adianta somente fazer as substituições alimentares. É preciso ficar de olho no glúten escondido em alguns produtos, como:

  • alimentos com conservantes e estabilizadores, comumente encontrados em produtos industrializados;
  • caldos para cozinhar;
  • molhos e temperos prontos;
  • produtos com amido modificado;
  • suplementos de vitaminas e minerais;
  • remédios vendidos sem prescrição médica;
  • cosméticos;
  • pasta de dente e enxaguante bucal.

Também é importante ficar atento ao preparo dos alimentos. O ideal é separar utensílios para o uso exclusivo das refeições sem glúten, a fim de prevenir a contaminação cruzada. E não é só isso! Veja abaixo mais alguns hábitos que devem fazer parte da rotina dos celíacos:

Ingerir suco de aloe vera

A aloe vera é uma planta que auxilia a diminuir a inflamação no intestino grosso e contribui para acelerar a recuperação dos tecidos do intestino que sofreram lesões, o que melhora o processo digestivo.

É recomendado tomar um copo de suco de aloe vera por algumas semanas para melhorar a condição clínica do celíaco.

Tomar sol

É comum que os celíacos tenham deficiência de vitamina D, por isso, é importante tomar de 10 a 15 minutos de sol, por dia, sem protetor solar. A carência dessa vitamina pode provocar o enfraquecimento dos ossos, diminuição de cálcio e fósforo no sangue, dor e fraqueza muscular.

Consumir probióticos e peixes oleosos

A ingestão de alimentos probióticos, como iogurte e kefir, ajuda a regular o funcionamento intestinal, facilitando a digestão e a absorção dos nutrientes.

Já os peixes oleosos, como salmão e atum, são ricos em ômega 3, ácido graxo que age no organismo como um anti-inflamatório natural, protegendo o revestimento do intestino e prevenindo inflamações.

Agora que você já sabe o que é a doença celíaca, que tal ler o nosso post: o que comer se você é celíaco?

(Fonte: fenacelbra) 

Um comentário em “O que é a doença celíaca?

  1. eu fui a endoclinologista, e com a medica foi diagnostica a doença devido a alguns desconfortos, sentia muita dores na barriga,ficava ate 1 semana sem ir ao banheiro,muita dor de cabeça,inchaço abdominal,cançaso,muitas dores na pernas e muitos caroçinhos( cravinhos) nos braços e muita coceira pelo corpo………ai minha medica cortou tudo que contem glutem,..entao tudo melhorou, dor de cabeça durante esses 3 meses que estou tirando o gluten,tive apenas 2 veses……o inchaço sumiu…. voltei a medica e foi confirmado entao a tolerancia ao glutem….mas eu nao fiz o exame e sangue,,,a medica nao achou necessario,ja que todos os meus sintomas indicaram a doença….entao e isso.

Deixe uma resposta