Fechar

APLV, Intolerância à Lactose e a Saúde do Intestino

Alergias e distúrbios alimentares são uma das causas mais frequentes de sinais de má saúde do intestino na infância, entre elas a alergia à proteína do leite de vaca (APLV) e a intolerância à lactose.

Ambos causam sérios desconfortos à saúde do intestino e podem ser altamente prejudiciais à vida da pessoa, independente de sua primeira manifestação ser nos primeiros anos de vida ou após a chegada da vida adulta.

Muitos acham que esses dois problemas são a mesma coisa pelas semelhanças entre elas, mas não é bem assim. Veja as diferenças entre eles, seus sintomas e tratamentos para ambos os casos.

Produtos Sem Lactose é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem lactose e sem lácteos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Açúcar é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem açucar do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Veganos é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos veganos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Glúten é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos glúten do país. Encontre Schãr, Aminna, Belive, Casarão e outras marcas que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Conheça a OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos saudáveis do país. Encontre snacks, alimentos a granel, suplementos e outros produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Conhecer
O que é a intolerância à lactose

A intolerância à lactose ocorre quando existe deficiência na enzima lactase, que reveste a parede do intestino. Com pouca enzima, o açúcar do leite, a lactose, não é digerido.

Esse é um problema crônico, ou seja, não tem cura. A pessoa que constata o problema terá que conviver com ele para sempre. O que não significa ser algo ruim, pois é plenamente possível viver bem e saudável sem ingerir alimentos com lactose.

Há três tipos desse problema:

  • primária: resultado do envelhecimento e do excesso de consumo de lactose ao longo da vida;
  • secundária: resultado de algum problema de saúde (doença celiática, gastroenterite, doença de Crohn, etc.) ou ferimento que tenha ocorrido ao longo da vida;
  • congênita: quando a criança já nasce com a intolerância.

Há alguns fatores de risco que envolvem a possibilidade de surgimento do distúrbio, dentre eles a idade avançada, nascimento prematuro e doenças que afetam o intestino delgado.

Sintomas e tratamento da intolerância à lactose

Para identificar se há chance de estar com intolerância à lactose, é importante saber quais os principais sintomas envolvidos nesse problema. Poucas horas após o consumo do leite ou seus derivados, tem início uma série de sintomas de mal-estar gástrico, como cólicas abdominais, distensão do abdômen por gases e diarreia.

Esses sintomas, por sua vez, podem variar de acordo com a quantidade de lactose ingerida e no grau de intolerância dos indivíduos (que se dividem em aqueles que não têm enzimas, aqueles com pouca enzima depois de uma doença diarreica ou aqueles cujas enzimas diminuem com o envelhecimento).

Sendo assim, quanto mais lactose ingerida e menor a presença de enzimas no intestino, maiores serão sinais e os sintomas.

A melhora depende da retirada da lactose da dieta e um cuidado maior – mas não proibição absoluta – com a ingestão de derivados do leite. Existem leites sem lactose, enzimas gástricas em forma de comprimido e mesmo probióticos que ajudam muito. Exceto isso, não há tratamento para ela.

Para quem sofre desse problema, é importante não deixar de incluir na dieta alimentos sem lactose, por serem importantes fontes de cálcio para seu organismo.

O que é a APLV

Diferente da intolerância à lactose, que é uma condição do ambiente gastrointestinal do indivíduo, a APLV (Alergia a Proteína do Leite de Vaca) é causada por mecanismos de alergia e suas reações podem ser imediatas (medidas pelo IgE) ou tardias (mistas IgE e linfócito B).

Os fatores de risco para o desenvolvimento da APLV são:

  • genética (crianças com pais alérgicos tendem a desenvolver a alergia);
  • exposição precoce a proteína do leite de vaca (principalmente nos primeiros 6 meses de vida).

Sua principal característica é o surgimento na fase precoce da vida, ou seja, logo nos primeiros meses. São raros os casos em que esse problema aparece após os 2 anos de idade.

Sintomas e tratamento da APLV

Reações imediatas ocorrem logo após a ingestão da proteína do leite de vaca e os sintomas podem ser dos mais diversos, como asma, rinite, urticária (pelo contato externo com o leite) e muito mais.

Já as reações tardias podem ser: dermatite atópica, sangue nas fezes, diarreia, cólicas intensas, refluxo gastroesofágico e constipação intestinal.

Há também relatos de falta de apetite, vômito, coceira e inchaço. Crianças expostas a APLV costumam também apresentar problemas respiratórios, como chiados no peito, pneumonia e tosse.

Deve-se ficar atento, pois, por se tratar de uma alergia, há possibilidade de inchaço de laringe e choque anafilático. Caso você perceba qualquer alteração na criança após a ingestão de leite de vaca, deve-se levá-la imediatamente ao hospital, porque há risco de morte.

É importante o diagnóstico precoce, pois caso a criança esteja em fase de amamentação materna, a mãe deverá evitar o consumo de alimentos lácteos durante esse momento, já que as proteínas podem ser passadas através do leite e prejudicar a saúde do bebê.

Deve-se observar, também, que pessoas com APLV são mais propensas a desenvolverem dermatite atópica, asma e rinite. Além disso, percebe-se um aumento nas chances de desenvolvimento de alergia à soja (10% a 35%). Por isso, fique atento caso queira fazer a alteração para o leite do grão, porque a criança pode ser alérgica também.

Caso haja suspeita ou confirmação de que a criança tenha APLV, é importante que você saiba como fazer as alterações necessárias em sua dieta.

O tratamento é a retirada absoluta e total da proteína do leite de vaca da dieta. Neste caso, a quantidade ingerida não tem qualquer relação com a intensidade da reação alérgica.

Diferença entre intolerância à lactose e APLV

Eles parecem semelhantes, mas na verdade, não são. Enquanto a intolerância à lactose é a intolerância ao açúcar (lactose) do leite, a APLV é alergia à proteína do leite de vaca.

Ou seja, enquanto no primeiro é possível consumir alimentos que sejam feitos de leite, mas que tenha sido retirada a lactose, no segundo caso é importante eliminar da dieta tudo que for produzido com esse alimento.

Outra diferença é que, enquanto o primeiro causa desconfortos gastrointestinais severos, mas ainda assim controláveis, o segundo pode implicar em risco de morte devido a possibilidade de choque.

Diagnóstico da intolerância à lactose e APLV

Ambos devem ser diagnosticados com exames laboratoriais, indicados pelo médico responsável após analisar os sintomas encontrados posteriormente à ingestão de leite.

Por isso, caso suspeite de qualquer um dos problemas, você deve procurar um profissional de saúde para analisar o caso.

Esses são os principais pontos a se saber sobre intolerância à lactose e APLV. Quer consumir produtos sem lactose ou derivados do leite? Na loja OneMarket, temos diferentes marcas a preço de atacado!

Compre produtos sem lácteos na OneMarket

  • Natural Science Leite Condensado de Coco 190g - Natural Science R$ 19.80
  • Belive Cookies Double Chocolate Gluten Free 34g - Belive R$ 3.90
  • Mais Pura Chips Assados de Batata Doce com Ervas e Canela 32... R$ 7.82
  • Belive Snack Batata Doce Sabor Frango Grelhado 35g - Beli... R$ 4.90
  • Carob House Alfarroba com Abacaxi 75g - Carob House R$ 13.25
  • Legurmê Molho Barbecue 330g - Legurmê R$ 19.30
  • Suavipan Bolo Integral Zero Açúcar de Maçã 250g - Suavi... R$ 13.12
  • Vittadely PopLev Cúrcuma e Moringa 50g - Vittadely R$ 5.18

Veja outros produtos

Comentários

Comentário

Fechar