Fechar

Saiba aqui como lidar com o diagnóstico de doença celíaca

Receber um diagnóstico de doença celíaca pode ser assustador. As dúvidas de como proceder com a nova rotina de alimentação são muitas. Porém, viver sem glúten não precisa ser uma tarefa árdua quando se tem o acompanhamento necessário e as informações corretas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde — OMS — cerca de 1% da população mundial é celíaca. Se você faz parte desse grupo, sabe que consumir glúten traz consequências desagradáveis para o organismo.

Pensando em como lhe ajudar a conviver com o diagnóstico, reunimos informações importantes para que a adaptação à nova vida seja mais tranquila. Confira agora mesmo!

Produtos Sem Lactose é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem lactose e sem lácteos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Açúcar é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem açucar do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Veganos é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos veganos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Glúten é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos glúten do país. Encontre Schãr, Aminna, Belive, Casarão e outras marcas que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Conheça a OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos saudáveis do país. Encontre snacks, alimentos a granel, suplementos e outros produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Conhecer
Mantenha acompanhamento profissional

Após o diagnóstico de doença celíaca, é indispensável procurar o acompanhamento de profissionais. Nessa etapa, entram em cena o médico gastroenterologista e o nutricionista.

O primeiro será responsável por cuidar da saúde do seu sistema digestivo. A doença celíaca é autoimune, ou seja, os anticorpos do organismo confundem células saudáveis com doentes e as destroem — nesse caso, o intestino delgado é o principal alvo.

Como algumas pessoas demoram até chegar ao diagnóstico, as paredes do intestino delgado e a absorção de nutrientes podem estar bastante comprometidas. Para contornar a situação, o médico poderá receitar suplementos para reposição do que está em falta no organismo.

Manter o acompanhamento médico, também prevenirá o aparecimento de outras patologias consequentes da doença celíaca — como a osteoporose e a dermatite herpetiforme.

O próximo passo será começar a mudança de hábitos alimentares para que o intestino delgado possa se regenerar. Quem lhe ajudará é o nutricionista — ele dará todas as orientações necessárias sobre sua nova dieta sem glúten.

Siga os novos hábitos rigorosamente

A doença celíaca não tem cura e seu único tratamento é pela mudança de hábitos alimentares. Ignorar esse fato pode trazer consequências graves — até mesmo o desenvolvimento de tumores. Somente com a dieta adequada você poderá levar uma vida normal.

Cortar o glúten é a prioridade! Ele está presente em cereais como trigo, cevada e centeio — ou seja, pães, bolos, massas, e tantos outros alimentos estão repletos dessa proteína.

A dieta do celíaco deverá se basear em proteína animal, gorduras e vegetais — aqui entra o acompanhamento com nutricionista para equilibrar o consumo de cada um. O indicado é não exagerar nas gorduras e aumentar o consumo de frutas e verduras.

É preciso estar atento aos rótulos dos produtos nos supermercados. Evite comprar itens que não apresentam especificações sobre a presença de glúten — ou procure o fabricante para obter a informação.

Vários produtos, mesmo que não possuam glúten na composição, entram em contato com a proteína durante sua fabricação — a chamada contaminação cruzada. Até mesmo na sua casa será preciso ter cuidado para não manipular alimentos proibidos juntamente com os que você irá ingerir.

Tome precauções ao visitar restaurantes, bares e hotéis. Sempre se informe sobre o preparo dos alimentos para não ter nenhuma surpresa desagradável. Em festas e comemorações, converse antecipadamente com o anfitrião para que ele ofereça opções sem glúten — uma opção é comer antes de sair de casa para não passar fome.

Manter o hábito de tomar sol também pode ajudar. Conforme já vimos, celíacos têm dificuldade em absorver nutrientes, especialmente a vitamina D. Aumentar os níveis dessa vitamina por meio do sol, ajuda a prevenir males provenientes da doença celíaca — como a osteoporose.

Aposte nas substituições e opções glúten free

Mesmo não podendo consumir trigo e outros cereais, você pode substitui-los. Existem várias farinhas que não contém glúten, entre elas a de mandioca, de milho, de arroz, de sorgo e de soja. Outra dica é pesquisar livros de receitas voltados para celíacos.

O mercado de alimentos sem glúten tem crescido. Já é possível encontrar gôndolas especializadas em supermercados, ou empresas que oferecem assinaturas mensais com caixas de produtos pensados especialmente para celíacos.

Seguir todas essas recomendações pode parecer difícil no começo — assim como qualquer mudança de hábito, requer esforço e dedicação. Busque ajuda de seus familiares e amigos, e lembre-se de conscientizá-los sobre sua nova condição.

Quer saber mais sobre o diagnóstico de doença celíaca? Então confira o artigo Antitransglutaminase: entenda como funciona o diagnóstico da doença celíaca.

Comentários

Comentário

Fechar