Skip to main content

O que é APLV? Saiba os sintomas e tratamentos

Um dos tipos mais comuns de alergia alimentar é a alergia à proteína do leite de vaca, ou APLV, como também é conhecida. Ela acontece quando o sistema imunológico reage a proteínas que estão presentes nos alimentos, por considerá-las componentes estranhos ao corpo.

Mesmo sendo comum, muitas pessoas têm dúvidas sobre o assunto. Por isso, reunimos, neste post, tudo sobre o que é APLV, quais são os sintomas, como é feito o diagnóstico e como se dão os tratamentos. Confira!

Entenda o que é APLV

Mais conhecida como APLV, a alergia ao leite de vaca é uma reação às proteínas que estão presentes tanto no leite da vaca quanto em seus derivados, como queijo, iogurte e demais alimentos que contenham leite.

Como o sistema imunológico reage às proteínas, o organismo inicia a produção de células específicas para combater as moléculas invasoras, o que desencadeia um processo alérgico.

Veja quais são as causas mais comuns

A APLV não é completamente definida e, por isso, diversos fatores podem contribuir para o seu surgimento, como:

Predisposição genética: muitas crianças que apresentam APLV têm casos de alergias alimentares em parentes de primeiro grau;

Contato com o alérgeno: como o intestino do bebê é imaturo, a ingestão das proteínas do leite pode fazer com que um processo de inflamação se inicie, gerando a alergia;

Crianças que passam por cuidados excessivos de higiene: bebês e crianças que têm pouco contato com agentes infecciosos podem ter o desenvolvimento do sistema imunológico comprometido, sendo mais suscetíveis a doenças alérgicas.

Aprenda a reconhecer os sintomas

Agora que você já sabe o que é APLV e suas possíveis causas, é de suma importância reconhecer os primeiros sintomas, que podem ser identificados ainda no aleitamento materno.

Entre os mais comuns, destacamos os de ordem digestiva, a exemplo a dificuldade para engolir, recusa alimentar, vômitos, cólicas intensas, diarreia, intestino preso e sangue nas fezes.

Outros sinais frequentes são os cutâneos (de pele), que incluem inchaço nos lábios ou pálpebras, coceira na pele, urticária e dermatite atópica.

Além deles, os problemas respiratórios também costumam fazer parte dos sintomas, como asma, inchaço no peito, tosse, coriza e até pneumonia.

Saiba como o diagnóstico é feito

Para saber se uma pessoa realmente tem APLV, é preciso que ela passe por diversas etapas. A primeira delas é a avaliação investigativa, ou seja, identificar os sintomas apresentados sempre que a proteína do leite de vaca ou alimentos associados são ingeridos. Logo depois, são feitos exames laboratoriais, que identificam a presença de anticorpos específicos.

Outra etapa do diagnóstico é o teste de provocação oral (TPO). Com ele, após a restrição da substância, o médico pede para que seja introduzido o leite na rotina alimentar. Caso o paciente apresente alguma reação imediata, a alergia é confirmada.

Conheça os tratamentos mais comuns

Alguns medicamentos podem ser prescritos, a fim de aliviar os sintomas — principalmente na fase inicial. Atenção: a família do alérgico deve carregar sempre a adrenalina autoinjetável, que é utilizada de forma imediata quando os sintomas forem desencadeados ou houver a ingestão acidental do alimento.

Há maneiras de reverter alguns tipos de APLV, com maiores chances de sucesso se a descoberta for precosse. A reintrodução do leite na dieta do paciente deve ser feita de modo gradual e com o devido acompanhamento médico.

Saber o que é APLV é o primeiro passo para reconhecer os sinais e buscar por ajuda. Apesar de ter um tratamento tranquilo, uma pessoa alérgica que consome a proteína do leite da vaca pode ter sérias complicações e até ser levada a óbito. Por isso, ficar atento aos sinais e cuidados com o tratamento é essencial.

Gostou do post? Então continue sua visita e descubra as diferenças entre alergia ao leite da vaca e intolerância à lactose. Leia e aprimore os seus conhecimentos!

Comentários

Comentário

Deixe uma resposta