Skip to main content

Você sabe as diferenças entre alergia ao leite da vaca e intolerância à lactose?

 

Você sabia que a alergia ao leite da vaca e a intolerância à lactose são dois problemas completamente diferentes? No entanto, ingerir leite e derivados pode desencadear ambas.

E é exatamente por conta desse risco que algumas pessoas acabam confundindo um problema com o outro e ficam apreensivas ao receber o diagnóstico.

Por isso, vamos esclarecer quais pontos os diferenciam para você ter facilidade em identificar qual é o seu quadro. Porém, não se esqueça que o mais importante são as consultas com profissionais, afinal, só eles podem dar um diagnóstico e indicar o tratamento e cuidados mais adequados.

Confira no post abaixo o que é alergia ao leite e o que é intolerância detalhadamente. Boa leitura!

Definição

Alergia

A alergia ao leite de vaca é a reação do organismo à caseína, uma proteína presente no leite e em todas as proteínas de origem animal. Quando uma pessoa alérgica ingere o leite da vaca, o sistema imunológico reage como se estivesse sendo atacado por algum micro-organismo estranho. Essa é uma reação de hipersensibilidade do sistema imune, ou seja, o organismo torna-se sensível a essa proteína.

Intolerância

É a deficiência ou a redução dos níveis da enzima lactase no organismo. Essa enzima é responsável pela quebra da lactose, o açúcar do leite. Assim, o organismo tem dificuldade em quebrar e digerir essa substância, que é encontrada no leite e em outros produtos lácteos.

Existem três tipos de intolerância à lactose:

  • intolerância à lactose congênita: acontece quando a pessoa nasce com a intolerância. Apesar de ser raro, pode ocorrer pela ausência total de lactase no organismo;
  • intolerância à lactose primária: ocorre devido ao avanço da idade. É normal que a nossa capacidade de produzir lactase vá diminuindo com o passar dos anos, processo que tem início no momento em que deixamos de ser amamentados;
  • intolerância à lactose secundária: ocorre quando o intestino delgado não produz mais uma quantidade normal de lactase devido a doenças e ferimentos, o que pode levar a intolerância. A doença celíaca, a gastroenterite e doença de Crohn são alguns exemplos.

Idade mais comum

Alergia

É comum acontecer em crianças e bebês durante a troca do leite materno pelo de vaca. Muitas vezes, o organismo da criança ainda é frágil demais para se adaptar a esse novo tipo de alimento. O problema costuma desaparecer entre os três e os cinco anos de idade.

Intolerância

Pode acontecer em qualquer época da vida, no entanto, é mais comum em adultos e idosos. Pode surgir a partir de lesões intestinais, tratamentos agressivos, como a quimioterapia, ou com o envelhecimento natural das células. O acometimento de crianças é raro, mas quando acontece se deve a síndromes genéticas.

Essa condição pode ser temporária ou persistir durante toda a vida do indivíduo. Não é possível prever, entretanto, se a intolerância vai durar pouco ou muito tempo, visto que cada organismo tem suas particularidades.

Causas

Alergia

Trata-se de uma condição do próprio sistema imunológico do organismo. Ao receber a proteína do leite, ele “entende” que está sendo atacado por corpos estranhos e passa a reagir para combater os invasores. No entanto, sabe-se que a incidência é maior em crianças expostas precocemente ao leite de vaca, ou seja, antes dos 6 meses de idade.

Intolerância

Também é uma condição do próprio organismo, onde a falha na produção da enzima lactase faz com que o mesmo não consiga digerir a lactose. A substância então chega inteira ao intestino, onde fermenta e pode até causar infecções.

Sintomas

Alergia

Os sintomas podem acontecer em diversos sistemas do corpo, como:

  • digestivo, que inclui sintomas como vômitos, cólicas, diarreias, dores abdominais, prisão de ventre, presença de sangue nas fezes e refluxo;
  • cutâneo, que pode cursar com sintomas como: urticária e dermatite atópica de moderada à grave (podem surgir até mesmo feridas na pele);
  • respiratório, que pode se apresentar como: asma, chiado e rinite.

Podem ocorrer um ou mais desses sintomas na mesma hora ou dias após a pessoa ter bebido o leite de vaca.

Intolerância

Normalmente, a intolerância a lactose cursa com sintomas intestinais, como: cólica, diarreia, gases, distensões abdominais e sensação de inchaço. Acontecem em minutos ou horas após a ingestão do leite de vaca.

Diagnóstico

Alergia

O médico geralmente assimila os sintomas com a ingestão do alimento suspeito, no caso, o leite. Exames de sangue (IgE específicos) e cutâneos podem ser solicitados mas, em alguns casos, não são capazes de confirmar o problema. O diagnóstico é apenas confirmado quando o paciente para de ingerir o leite e os sintomas desaparecem. Após, é feito o Teste de Provocação Oral, que é a reintrodução do leite aos poucos na presença do médico.

Intolerância

O médico acompanhará o histórico do paciente e serão solicitados exames específicos, por meio dos sintomas associados à ingestão do leite. Entretanto, é importante lembrar que a intolerância à lactose pode não ser considerada apenas um desequilíbrio no organismo, mas sim uma consequência de outros desequilíbrios.

Tratamento

Alergia

O único tratamento consiste em evitar alimentos que contenham leite de vaca e seus derivados. É importante estar atento ao rótulo de tudo o que for consumir, visto que diversos produtos contém leite.

Intolerância

Nesse caso, também é necessário cortar o consumo de leite e seus derivados. Pode-se substituir o alimento pelo leite de soja. Os alimentos devem ser retirados da dieta de acordo com o grau da intolerância. Ademais, existem medicamentos que contém a enzima lactase, o que ajuda a diminuir a intolerância.

Alimentação

Em ambos os casos, sem a ingestão de leite e seus derivados, o organismo pode ficar carente de alguns nutrientes. É por esse motivo que esses alimentos devem ser substituídos por outros que tenham propriedades similares. O cálcio, por exemplo, tão importante para os ossos e o organismo em geral, pode ser reposto através da ingestão de vegetais verde-escuros.

Se você tem alergia, comidas veganas são ótimas opções, visto que não há ingredientes de origem animal, logo não há a presença do leite. Os intolerantes, podem fazer substituições com alimentos sem lactose que, inclusive, são os presentes na LacFree Box.

Outra recomendação importante vai para as mães de bebês que têm alergia. Na fase da amamentação, é necessário evitar a ingestão de alimentos que contenham essa proteína, pois a mesma pode passar para o leite materno e ir direto para o organismo do bebê, provocando as reações.

Para quem tem intolerância, existem no mercado opções de queijos, iogurtes e diversos outros na versão sem lactose, além de outros alimentos que podem substituir os nutrientes.

Uma diferença importante entre os dois problemas é que, quem é alérgico à proteína do leite não pode ingerir o alimento ou seus derivados sob nenhuma forma. Um contato mínimo já resultaria nas reações que descrevemos acima.

Já quem tem intolerância, dependendo do grau do problema, ainda pode ingerir leite em pequenas quantidades, misturados a outros ingredientes em alguns alimentos. Só é necessário ficar atento à tolerância do organismo, para que esse consumo não se torne prejudicial. Há pessoas que simplesmente não podem ingerir qualquer quantidade.

Lembrando, mais uma vez, que cada caso é específico. Assim, só um profissional pode avaliar e diagnosticar a doença. Além do acompanhamento com o gastroenterologista, você também pode procurar um nutricionista para ajudá-lo na dieta.

Se você ou algum familiar tem intolerância a lactose ou alergia ao leite de vaca, assine a nossa newsletter e saiba tudo sobre alimentação saudável sem leite!

Comentários

Comentário

Deixe uma resposta