Skip to main content

5 dicas para uma boa transição para o veganismo

A transição para o veganismo costuma ser uma fase cercada de ansiedade, novas descobertas, curiosidade e, claro, muitas dúvidas. Tudo isso não é pra menos, já que é um passo importante e precisa ser feito de forma gradual para que tanto o seu corpo e a sua mente se adaptem adequadamente ao seu novo estilo de vida.

Pensando nisso, reunimos 5 dicas vão ser de grande ajuda nesse momento para você, permitindo que a sua rotina tenha mais informação sobre esse tema e cause menos impacto ao meio ambiente. Acompanhe!

1. Faça um levantamento dos alimentos que você consome para encontrar alternativas

Para começar, é importante que você faça um levantamento completo do que você consome atualmente. Liste tudo, desde os alimentos sólidos até os líquidos. Feito isso, dedique o tempo que for necessário para identificar aqueles que têm origem animal, mesmo que em quantidades mínimas.

A partir disso, você pode procurar por alternativas que não deixem a desejar quanto ao sabor e que contenham valor nutritivo até mesmo superior ao que era consumido antes. Um exemplo é a manteiga tradicional, que contém proteína animal, e pode ser substituída pela manteiga de oleaginosas, como a de avelã ou amêndoas.

2. Elabore uma lista de receitas veganas

Sem dúvidas, um dos maiores desafios de quem pensa fazer ou já está fazendo a transição para o veganismo é a elaboração do cardápio. O motivo disso é que no início, por conta das dúvidas e dos receios, as refeições acabem se repetindo com uma grande frequência para evitar erros ou possíveis deslizes.

Porém, isso não precisa ocorrer com você. Afinal, é possível, sim, diversificá-las e ter pratos elaborados e saborosos todos os dias. Para tanto, é ideal que você reserve algumas horas no sábado ou domingo, por exemplo, e monte um pequeno livro de receitas com ingredientes simples e acessíveis.

Ele pode (e deve) ser sempre atualizado, semanal ou quinzenalmente, para  garantir que suas opções de alimentação sejam variadas e de preparo cada vez mais prático e otimizado.

3. Pesquise por blogs e sites especializados no assunto

Outra dica que vai lhe ajudar com a transição para o veganismo é pesquisar por blogs, sites e outras páginas na internet que sejam especializados no assunto. Isso porque eles vão ter conteúdo não apenas interessante, mas acima de tudo relevante para a sua rotina.

Serão feitas publicações com pesquisas sobre o impacto e os reflexos dessa escolha na sociedade, informações sobre locais voltados para atender pessoas veganas, dicas de alimentação, relatos de gente que já passou por todo esse processo e muito mais.

4. Analise sempre os rótulos dos alimentos

Além das sugestões anteriores, tenha em mente a importância de redobrar a atenção no supermercado. O motivo disso é que existem produtos que muitas vezes se “disfarçam” como veganos, mas que, na prática, não são. Isso acontece porque há uma série de ingredientes que podem ser obtidos tanto de origem animal quanto vegetal.

Alguns exemplos são a luteína, a albumina, o ácido benzoico e as vitaminas (como a B e a H). Logo, a única forma de garantir que você está comprando algum item 100% vegano é analisando os rótulos dos alimentos. Neles estarão dispostos todas as informações necessárias sobre a composição do alimento.

5. Converse com outras pessoas que fizeram a transição para o veganismo

Por fim, não deixe de conversar com outros veganos, seja em fóruns, redes sociais ou grupos de encontro que são marcados na sua cidade. Afinal, nada melhor do que alguém que vivenciou a transição para lhe dar sugestões e conselhos que vão tornar esse processo mais fácil e rápido para você.

Além disso, conhecer um pouco mais da experiência individual dos demais vai lhe permitir entender algumas mudanças essenciais que envolvem não apenas a sua alimentação, como também o seu estilo de vida e as suas ideologias.

Gostou das nossas dicas sobre transição para o veganismo? Então não deixe de segui-las e de contar com um acompanhamento nutricional para garantir que essa mudança na sua vida ocorra da forma consciente e saudável. Aproveite também o tema deste post e aprenda como ler os rótulos dos produtos e identificar quais são de origem animal!

Comentários

Comentário

Deixe uma resposta