Skip to main content

Afinal, proteína animal faz mesmo falta?

Proteínas desempenham um papel fundamental no corpo e fazem parte de quase todas as funções fisiológicas. Elas existem na forma de proteína animal e vegetal e, na ausência de carboidratos e gorduras, atuam como energéticos. É possível comparar isso ao que ocorre com um sistema elétrico quando há uma pane e a luz de emergência é acionada automaticamente.

No post de hoje, entenda a sua importância e descubra se a proteína animal faz mesmo falta para o nosso organismo.

O que são as proteínas?

As proteínas são compostos químicos sintetizados pelos seres vivos e estão presentes em todas as partes das células. Elas são encontradas em dois grupos: proteína animal e proteína vegetal.

Qual delas é a mais saudável?

Proteína animal

O valor biológico de uma proteína está diretamente relacionado à quantidade de aminoácidos contidos nela. O da animal é alto, porque possui os aminoácidos completos, que são aqueles que não conseguimos produzir. Pode ser encontrada em ovos, queijos e carnes.

É rica em ferro, cálcio, zinco e vitamina B12. No entanto, é pobre em fibras, possui muita gordura nociva e seu consumo em excesso vem sendo associado a doenças.

Proteína vegetal

A proteína vegetal tem baixo valor nutricional, visto que apresenta uma quantidade menor de aminoácidos essenciais. Em contrapartida, contém carboidratos, vitaminas e fibras, além de ser livre de gorduras prejudiciais à saúde.

É importante destacar que os aminoácidos essenciais são complementares aos dos cereais e, quando combinados a legumes, produzem um bom equilíbrio nutricional. Por isso, a famosa dupla brasileira do arroz com feijão é uma combinação rica em proteína de alto valor biológico.

Os legumes possuem minerais como cálcio, ferro, magnésio e vitaminas do complexo B, ricas em carboidratos. Elas são encontradas em cereais integrais, leguminosas, oleaginosas e sementes.

Em 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um alerta para que as pessoas restrinjam o consumo de carnes processadas e de carne vermelha. A quantidade sugerida é de, no máximo, 70 gramas por dia para homens e 55 gramas para mulheres.

O que acontece se eu cortar a proteína animal?

O importante é que, ao decidir fazer a transição para uma dieta vegetariana ou vegana, você busque um profissional de saúde para ter uma orientação adequada.

Confira algumas dicas de como substituir a proteína animal em sua alimentação:

  • para garantir zinco, ferro e vitaminas do grupo B em seu organismo, consuma alimentos como amendoim, lentilha, gergelim, brócolis, frutas cítricas e legumes.
  • a biotina (B7) pode ser obtida por meio da ingestão de ovo cozido, cogumelo, soja, couve-flor, noz, abacate, banana e framboesa.
  • opte por gorduras saudáveis encontradas na amêndoa, noz, linhaça e folhas verdes.
  • consuma beterraba, espinafre, feijão e aspargos para evitar a dormência nos pés e nas mãos.
  • coma avelã, banana, amêndoa, abóbora, maçã, cereja, toranja e todos os vegetais de folhas verdes, em especial o espinafre, para ter cálcio, potássio e magnésio em seu organismo.

Entendeu agora por que a proteína animal pode ser substituída pela vegetal sem riscos para a sua saúde? Aproveite e conheça mais sobre Como equilibrar a alimentação sem consumir carnes e equivalentes.

Comentários

Comentário

Deixe uma resposta