Fechar

O que é ser vegetariano: tipos e motivos da adoção do vegetarianismo

Deixar de comer carne, tomar apenas leite e não usar roupas de couro. Tais questões vêm à tona quando uma pessoa se pergunta o que é ser vegetariano. Afinal, a decisão vai além da alteração da dieta, tornando-se um novo estilo de vida.

Existem diferentes tipos de vegetarianismo, sendo que cada um deles tem suas características específicas. Há quem não consuma carne, por exemplo, mas aceite ovo e leite.

Ficou curioso? Então, acompanhe este post e conheça os tipos e motivos da adoção do vegetarianismo.

Produtos Sem Lactose é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem lactose e sem lácteos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Açúcar é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos sem açucar do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Veganos é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos veganos do país. Encontre os produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Produtos Sem Glúten é na OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos glúten do país. Encontre Schãr, Aminna, Belive, Casarão e outras marcas que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Experimentar
Conheça a OneMarket
A OneMarket é o maior mercado de alimentos saudáveis do país. Encontre snacks, alimentos a granel, suplementos e outros produtos que você ama e receba na porta da sua casa.
Quero Conhecer
Por que se tornar vegetariano?

São várias as razões que levam alguém a se tornar vegetariano. O mais comum é que a decisão seja baseada em questões éticas — nesses casos, o abate e o uso de animais na confecção de produtos são considerados um problema grave.

Há, ainda, o fator saúde. Estudos demonstram que a substituição de alimentos de origem animal pelos de origem vegetal pode trazer benefícios para o corpo.

Outro motivo para a adoção do vegetarianismo é a questão ambiental. Afinal, parte das emissões de gases do efeito estufa é proveniente do desmatamento para a pecuária.

Quais são os tipos de vegetarianismo?

Ovolactovegetariano

Geralmente, tal tipo de vegetarianismo ocorre na fase em que a pessoa começa a parar de comer carne. Por isso, o ovolactovegetariano segue uma das dietas menos restritivas. Quem opta por esse caminho ainda ingere leite e ovos.

Lactovegetariano

Além de não consumir nenhum tipo de carne, os lactovegetarianos eliminam os ovos de seu cardápio. Esse tipo de dieta é comum na Índia, por razões religiosas.

Vegetariano estrito

O vegetariano estrito não consome carne vermelha, ovo, leite ou qualquer outro alimento de origem animal. Ele tem a convicção de que não deve se alimentar de nada que gere o sofrimento ou o trabalho forçado de um animal.

Logo, a pessoa não come ovos, pelo fato de que a galinha fica presa e recebe hormônios para aumentar sua produção. Também não se ingere carne de vaca ou toma o leite proveniente dela, já que o animal fica confinado e chega a ser sacrificado.

Vegano

veganismo é mais restritivo do que o vegetarianismo estrito. Assim, produtos e alimentos que explorem animais não são consumidos. O vegano também não usa roupas de couro ou maquiagens que tenham sido testadas em bichos, além de não frequentar zoológicos, circos ou rodeios.

Crudívoro

O crudívoro admite apenas a ingestão de alimentos crus, que não sejam aquecidos acima dos 40 graus. Assim, não consome nada refinado, pasteurizado, tratado com pesticidas ou processado.

Isso porque o cozimento elimina enzimas e gera a perda de grande parte dos nutrientes dos itens. Não é à toa que, nesse tipo de dieta, é comum a ingestão de cereais integrais, leguminosas e oleaginosas.

O que leva as pessoas a se tornarem vegetarianas?

A relação do brasileiro com o vegetarianismo está em transformação. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo IBOPE em 2018, hoje, 14% dos brasileiros se declaram vegetarianos — o que corresponde a um crescimento de 6% em relação ao mesmo estudo em 2012.

Os motivos para aderir a esse estilo são diversos: envolvem desde a preocupação com a saúde e a qualidade de vida à consciência ambiental, considerando-se os desequilíbrios agravados pela pecuária.

Consciência ambiental

Hoje, a produção de carne (especialmente bovina) tem grande impacto sobre o desequilíbrio do meio ambiente em todo o mundo. Segundo a organização não governamental brasileira WWF, estima-se que 79% da soja global produzida seja voltada para alimentar o gado que será abatido. Outro grão que se destaca é o milho.

Confinado em espaços pequenos, o gado, em frigoríficos, fica concentrado em uma situação de insalubridade e com alta ocupação. Isso gera a necessidade de utilizar antibióticos danosos para a saúde humana, a fim de evitar doenças e infecções, permitindo que se desenvolva rapidamente para o abate.

Nos pastos, além disso, há o impacto causado pela emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa, decorrentes das fezes dos animais. Concomitantemente ao problema, o desmatamento e a utilização de hectares para a criação de gado causam desequilíbrio entre a vegetação.

No Brasil, extensas áreas de mata atlântica, cerrado e pantanal, por exemplo, têm sido devastadas para a expansão da atividade pecuária. Segundo dados da organização sem fins lucrativos Water Foot Print, para que seja produzido um quilo de carne bovina, são utilizados 15,5 mil litros de água.

Para a carne de porco, são quase 6 mil litros. Tal questão hídrica revela o desperdício e encoraja muitas pessoas a adotarem o vegetarianismo.

Combate à crueldade com animais

O vegetarianismo, em sua vertente vegana, vai além da preocupação com o meio ambiente. Valoriza-se, também, o bem-estar animal, com um posicionamento contrário a qualquer tipo de crueldade contra esses seres vivos, tanto em relação ao abate quanto à exploração.

Assim, a adoção de tal estilo de vida ultrapassa a dieta e se estende a um posicionamento político, que inclui o boicote a marcas que utilizam peles de animais na confecção de roupas e calçados. Além disso, o vegano não consome produtos de empresas de cosméticos que realizam testes em bichos.

Benefícios para a saúde

Eliminar a carne vermelha e os produtos animais ricos em gorduras saturadas da alimentação, paralelamente ao aumento do consumo de frutas, verduras e legumes, torna a população mais saudável. A iniciativa também pode auxiliar a reduzir os casos de doenças cardíacas, diabetes e outros males crônicos.

Indivíduos que apresentam taxas elevadas de LDL (considerado o colesterol ruim) apresentam notável melhora depois de iniciar uma dieta vegetariana. Isso porque retiram completamente os alimentos de origem animal, fontes únicas de colesterol, da rotina.

O consumo de mais alimentos in natura, ricos em fibras e nutrientes e sem processamento, regula o funcionamento do organismo, reduz as taxas de açúcar no sangue e promove maior saciedade. Evita-se, assim, contribuir com o aumento da obesidade, considerada uma epidemia global pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Antes de iniciar uma transição, é comum que a pessoa tenha dúvidas sobre o que é ser vegetariano e quais as vertentes abrangidas pela prática. Mas, quando a escolha é consciente e acompanhada por profissionais qualificados, como nutricionistas e médicos, há muito com o que se beneficiar.

Está começando a inserir receitas vegetarianas no dia a dia e pretende mudar sua dieta, mas ainda tem dúvidas sobre o que comer? Então, que tal conferir uma deliciosa receita de cannelloni de abobrinha?

Comentários

Comentário

Fechar